Entenda 10 aspectos importantes da Automatização de testes

Entenda 10 aspectos importantes da Automatização de testes

Por que a Automatização de testes pode ser um fator decisivo para vantagem Competitiva?

 

Ao desenvolver um produto novo de TI, é fundamental examinar as funcionalidades em diversas situações a fim de garantir um bom funcionamento do sistema e prevenir bugs e falhas. Algo importante no momento de realizar alterações ou atualizações de programas ou no software, dessa forma são usados testes.

Entretanto, você sabia que é capaz automatizar esse processo? Não? Então vamos te fazer entender mais sobre o assunto. Continue lendo esse artigo e fique por dentro de todos os aspectos relevantes quando falamos em automação de testes na Tecnologia da Informação.

1. O que é automatização de testes

É um processo em que uma ferramenta faz testes em sistemas ou outras ferramentas de TI com o intuito de identificar problemas ou erros. Ou seja, mediante aos comandos, há a capacidade de utilizar um robô para testar sites ou programas em busca de incoerências ou bugs.

Então, a automação de testes é o uso de ferramentas tecnológicas para testar os softwares dentro de inúmeras situações possíveis pelas quais o cliente final pode passar.

2. Quais as funções da automatização

Para começar a entender como funciona esse processo, vamos imaginar que você realizou algumas alterações em um software para melhorá-lo. Mas, pode ser que não sejam claros os impactos dessas transformações em todas as funcionalidades. E a automatização de testes entra nessa fase.

Ela possibilita criar regras que devem ser seguidas à risca para um bom teste. Assim sendo, ao testar o software, a ferramenta automatização  possibilita identificar falhas e notificar ao time responsável pelo desenvolvimento dele. Algo que ocorre antes do produto chegar ao cliente final.

Dessa maneira, é possível identificar os erros na fase inicial e evitar que falhas se dissipem para outras áreas do software, o que poderia gerar inúmeros transtornos e problemas para a equipe de Tecnologia de Informação.

3. Por que a automatização de testes é importante?

Tanto para a equipe de Tecnologia quanto para a empresa, é importante automatizar os testes. Devido a possibilidade de diagnosticar problemas nos softwares no início do projeto. E outra, quanto maior o tempo de criação e ciclo de vida do software, mais importante é colocar em prática a automatização de testes.

Em contrapartida, normalmente há mais de uma equipe trabalhando no desenvolvimento de um produto, assim quando os erros e falhas são identificados em uma área, há como evitar que a outra equipe assuma o erro como algo comum ao projeto, disseminando-os a outras funções do programa.

Além disso, é praticamente impossível uma pessoa realizar os testes de automação sem ajuda de ferramentas, e mesmo que tentasse, não seria eficiente designar alguém para essa tarefa que poderia ser realizada por uma tecnologia. Então, a automatização de testes tem como função auxiliar a equipe de TI a ser mais produtiva e eficiente. Fato que gera mais e melhores resultados para a empresa como um todo.

4. Quando realizar a automatização de testes

A automatização de testes pode ocorrer a qualquer momento da criação ou alteração do software – ou antes mesmo por meio da técnica TDD (Test-driven development). Ademais, durante o projeto, você pode realizar testes constantes, diários ou semanais, na intenção de identificar falhas e erros.

 

5. Quais testes podem ser automatizados

Os dois testes principais que podem ser automatizados são: o teste funcional e o unitário. O primeiro se refere ao que simula a interação com o usuário, garantindo que o conjunto de funções está correto. Já o segundo é sobre testes de ponto a ponto, ou seja, quando feitos em cada um dos fragmentos do código.

6. Quais testes não podem ser automatizados

Os únicos que não podem ser automatizados são aqueles acerca da demanda do cliente. Ou seja, os que conferem se as solicitações anteriores ao desenvolvimento ou ao ajuste do software foram cumpridas. Assim, é essencial que o cliente realize a validação do programa – ele mesmo deve testá-lo a fim de garantir que esteja conforme o solicitado.

7. Quais as vantagens da automatização de testes

A princípio, a vantagem principal é a agilidade. Isso porque eles são testes manuais, demorados e custosos para o time de TI e cliente final. Entretanto, quando se utiliza a automatização, o processo se torna mais simples e ágil.

Além disso, você pode delegar outras funções mais estratégicas para sua equipe de TI. Assim sendo, a equipe se torna mais produtiva e estimulada, uma vez que não precisa realizar inúmeros testes no software em desenvolvimento.

O processo de automatização de testes aumenta também a qualidade do produto final. Isso porque nem todos podem ser realizados manualmente. E há a garantia de que o produto final tenha um menor número de falhas e erros pelo fato de serem mais abrangentes.

Em conclusão, a automatização pode reduzir custos devido a falta de possibilidade de retrabalho acerca da programação de sistemas pela equipe de TI.

8. Quais os principais desafios da automatização de testes

O principal desafio é referente a programação do próprio teste. Se a equipe de TI deixa o teste para o final, quando o produto já está pronto, pode ser que a fase de programação seja demorada tanto quanto ao desenvolvimento de um novo software.

Ou seja, é fundamental se atentar e garantir que os testes se iniciem no começo do processo, além de serem realizados continuamente durante todo o desenvolvimento do produto.

9. Como escolher as ferramentas

Há diversas ferramentas que podem ser usadas na automatização de testes. Dentre elas estão: TestComplete, Telerik Test Studio, Selenium, Robotium, entre outras. Há gratuitas e pagas, o que as diferenciam são as linguagens abordadas e a abrangência da ferramenta.

Então, quando for escolher a melhor opção para seu negócio, fique atento a todos os elementos. O que significa que se estiver trabalhando com Java, deverá escolher uma ferramenta que se adeque a essa linguagem.

Por isso, o ideal é escolher mais de uma ferramenta, podendo variar entre 5 e 5. Entretanto dependerá também de suas necessidades específicas, assim como as características de cada ferramenta selecionada.

10. Cuidados que devem ser tomados na automatização de testes

Ter certos cuidados ao automatizar os testes é muito importante. A princípio, o teste teve ser especificado antes do início do projeto. Significa que ao desenvolver a ideia, deve-se também criar a programação, bem como definir quais os resultados almejados.

Ademais, o time deve ser capaz de utilizar os testes e escolher as ferramentas mais adequadas e saber como operá-las. Em síntese, é fundamental entender que os testes não cessam com o final do software. Eles devem continuar após a ativação do sistema, a fim de monitorar suas funções e garantir que nenhuma falha ou erro aconteça.

Por fim, o processo de automatização de testes é uma maneira de potencializar os resultados da equipe de Tecnologia da Informação, e agora que você já entende sobre o assunto, considere implementar esse processo em seu negócio e aproveitar todos os benefícios a serem obtidos.

Conheça sobre as fases do ciclo da DevOps e suas funções

Conheça sobre as fases do ciclo da DevOps e suas funções

A DevOps possui 5 fases em seu ciclo de vida, cada uma com funções bem definidas. Saiba quais são essas fases e suas funcionalidades. Continue a leitura do artigo e descubra!

Como já sabemos, o DevOps está diretamente ligado à cultura ágil de maneira geral. Dessa forma, o sucesso da jornada e suas estratégias dependem de um ciclo de atividades que devem ser realizadas em um espaço curto de tempo para que o Desenvolvimento Operacional e a cultura ágil sejam instalados com sucesso – e aí entra o DevOps e seus ciclos.

Desenvolvimento

O Desenvolvimento é considerada a primeira fase do ciclo de vida do DevOps. Etapa que se refere ao planejamento e codificação do sistema.

O que significa que, antes do início dos trabalhos, é fundamental planejar cada ação, estabelecimento de metas e padrões de qualidade, esclarecer processos e gerar o escopo do projeto. Após essas definições, os desenvolvedores começam a colocar em prática as ideias que tiveram e dão início ao desenvolvimento dos códigos necessários para a concretização do projeto.

O desenvolvimento desse projeto é realizado com ou sem o DevOps, porém quando se implementa na empresa é preciso tomar alguns cuidados. A princípio, o desenvolvimento deve ocorrer de forma contínua, o que significa que não há interrupções para realização de testes ou captação de feedbacks.

Outro fato a ser observado, é garantir que ferramentas de controle do software sejam utilizadas durante o desenvolvimento, a fim de monitorar quaisquer alterações no código sendo gerado.

É a fase central do clico DevOps, por se referir a concepção do produto final. Ou seja, é importante planejar minuciosamente e investir em ferramentas para o desenvolvimento eficiente e constante.

Teste constante

A fase seguinte do ciclo DevOps é o teste constante. Quer dizer que o software que está sendo desenvolvido pela equipe necessita ser testado constantemente a fim de identificar falhas e bugs – antes da conclusão do projeto.

Por isso, ferramentas e metodologias são utilizadas e desenvolvidas especificamente para os testes constantes. Isso permite que sejam realizados testes de código com alta frequência, gerando feedbacks sobre os problemas, fato que permite a solução de problemas de forma rápida.

A relevância dessa fase vai além da identificação de problemas, tendo relação direta com a frequência da realização de testes. A fim de entender, pense que o time está desenvolvimento um sistema e que na conclusão do produto, você efetue testes e identifique os problemas no momento inicial do código. Fato que além de atrasar na entrada, a equipe deverá refazer o trabalho e corrigir os códigos que demorou semanas ou meses para ser desenvolvido.

Ao implementar essa fase corretamente na organização, é possível evitar esse tipo de situação. O que acontece porque os testes são efetuados com frequência alta, o que significa que pode haver a identificação de problemas e suas soluções, evitando assim atrasos e transtornos no projeto.

Contínua Integração

Integração é considerada uma das palavras-chave em relação à cultura DevOps. Dessa forma, é determinada como fase essencial a fim de ser implementado com sucesso dentro da organização.

Faz referência à necessidade de integrar continuamente a equipe de desenvolvimento e a de operações. Com isso, é preciso que os desenvolvedores tenham capacidade de comunicar quaisquer alterações do código de forma frequente para todos os componentes do projeto.

Essa fase inclui a integração constante do código adaptado ao código fonte e a dos testes e bugs descobertos.

Dessa forma, essa fase se refere à necessidade de sinergia de todos os membros da equipe e ferramentas usadas, a fim de permitir que todas ações, atividades e informações referentes ao projeto sejam sempre integradas.

Contínua Implantação

Após desenvolver, testar e integrar continuamente as modificações, o DevOps exige a contínua implementação, ou seja, se refere à validação do código desenvolvido.

O que significa que, quando um dos responsáveis pelo desenvolvimento cria certa função para um sistema, é preciso fazer seu teste e validação para garantir a rápida integração ao código fonte, sem que precise trabalhar manualmente. Em conclusão, esse profissional precisa ser capaz de rodar o código a fim de implementá-lo e inseri-lo ao produto final.

Assim sendo, ele é de extrema relevância para a concretização do DevOps, porque criar o software não é o bastante, é preciso implementá-lo com a intenção de garantir a continuidade do processo.

Monitoração

Para finalizar, a monitoração é a última fase do ciclo DevOps. Faz referência a necessidade de monitorar constantemente o desempenho da implementação do DevOps na organização.

A fase de monitoração do desempenho dos membros da equipe de TI, usando indicadores e métricas a fim de garantir que todos estejam dando capacidade total nos projetos. Entretanto, não se resume somente a equipe, mas também a todas as demais fases, ferramentas, a qualidade das entregas, entre outros elementos.

A monitoração é relevante para o sucesso do DevOps, afinal, é a fase que tem como princípio indicar os benefícios principais da implementação da estratégia da empresa mediante métricas e indicadores.

Outro fato, é que a monitoração possibilita a identificação de problemas e gargalos na implementação do DevOps na organização, o que possibilita criar planos de ação capazes de  ajustar os objetivos da empresa e alavancar seus resultados.

Conclusão

A cultura do DevOps já é considerada uma tendência que veio para ficar, ofertando inúmeros benefícios para negócios que optam por adotá-los. Porém, para garantir sucesso, é fundamental compreender cada fase do ciclo, o ciclo como um todo, para garantir que elas serão implementadas de formas corretas dentro da empresa.

É essencial lembrar que, como o nome diz, que essas fases compõe um ciclo, que não possui fim, tendo que ser recomeçado sempre que acabar.

Quer saber mais sobre o assunto? Gostaria de receber mais informações diretamente em seu -e-mail? Preencha o formulário abaixo e assine nossa Newsletter agora mesmo!

12 TENDÊNCIAS DO MARKETING PARA  ESCOLAS DE IDIOMAS

12 TENDÊNCIAS DO MARKETING PARA ESCOLAS DE IDIOMAS

12 TENDÊNCIAS DO MARKETING PARA APLICAR EM ESCOLAS DE IDIOMAS 

O Marketing para Instituições que lecionam idiomas é a melhor estratégia para atrair novos alunos para escola de inglês, por exemplo, mas sem investir tanto. 

Porém só consegue tais resultados quem conhece as 12 tendências que vamos mostrar aqui. 

São incontáveis as escolas de idiomas espalhadas pelo Brasil, muitas delas utilizam os mesmos recursos a fim de promover a atração e captação de alunos. 

Com o intuito de se diferenciar no mercado, é preciso investir em estratégias que mostram os diferenciais e sanar quaisquer dificuldades na captação de alunos.  

E em busca de uma ótima relação de custo-benefício, o Marketing para Escolas de idiomas é a solução perfeita para quem quer resultados melhores sem investir muito dinheiro,  

Por isso, elencamos as 12 tendências principais do segmento para você sair na frente da concorrência. Vamos conferir? 

AS 12 TENDÊNCIAS PRINCIPAIS DE MARKETING DIGITAL PARA SE INVESTIR EM SUA ESCOLA DE IDIOMAS 

 

A busca por escolas de idiomas está crescendo cada vez mais, especialmente em razão de profissionais buscarem turbinar seu currículo. 

Com o intuito de suprir essa demanda, várias escolas de idiomas estão sendo criadas, e as já existentes estão crescendo, principalmente as voltadas para o inglês. 

Por isso, para destacar sua instituição no mercado e torná-la relevante, você precisa entender como saber aplicar um bom Marketing. Entretanto, antes de fato de saber como fazer uma captação assertiva é fundamental focar em qual diferencial sua escola apresentará.